Cronologia

 

Image
Image

Parcerias com a Comunidade

Por recomendação da Coligação, em 2021, entendemos o alcance do Index aos residentes de Rhode Island que não falam Inglês em casa. Em 2022, fizemos mais uma parceria com quatro organizações de base comunitária - Dorcas International; Centro para os Asiáticos do Sudeste, Higher Ground International; e Progreso Latino. Trabalhando com os nossos parceiros, traduzimos a pesquisa digital aleatória para 14 idiomas e formámos a equipa da organização para conduzir as entrevistas pessoalmente ou por telefone. Os entrevistadores foram compensados pelo seu tempo e experiência.

 

Os Métodos

De maio a agosto de 2022, as organizações comunitárias realizaram mais 493 entrevistas pessoalmente ou por telefone em 14 idiomas diferentes.

Para saber mais sobre tamanhos de amostra de anos anteriores, clique aqui
Image
Image

A Pesquisa

A pesquisa apresentou três conjuntos de perguntas sobre as perceções dos entrevistados sobre as suas comunidades. Um conjunto de perguntas pedia aos inquiridos que avaliassem as declarações sobre as suas comunidades em termos de se a declaração era completamente descritiva, um pouco descritiva, não muito descritiva ou nada descritiva. Um segundo conjunto de perguntas pedia aos entrevistados que classificassem a probabilidade de cada aspeto da vida de uma pessoa típica a viver na sua comunidade - muito provável, um pouco
provável, pouco provável ou muito improvável. O terceiro conjunto de perguntas questionou os entrevistados sobre a disponibilidade de
moradia e acessibilidade. Também incluímos perguntas sobre programas
e serviços para crianças e idosos de Rhode Island, bem como perguntas sobre as experiências reais dos entrevistados em relação à segurança alimentar, situação económica, confiança na gestão de problemas de saúde e confiança no uso da tecnologia. Em 2022, para itens que não fazem parte do principal Life Index de RI, os CBO tiveram a oportunidade de perguntar os itens mais relevantes para a sua organização. Portanto, alguns itens não foram questionados por todas as CBO.

A Abordagem Analítica

Criamos pontuações para vários aspetos de saúde e bem-estar numa comunidade. Referimo-nos a essas pontuações como pontuações POP (percentagem do possível). A pontuação POP para cada componente representa o quão próximo os entrevistados acreditam que a sua comunidade está de uma comunidade ideal ou saudável nessas áreas. Usamos esta abordagem para combinar vários indicadores numa pontuação, permitindo uma observação mais fácil das metas de melhoria, bem como dos pontos fortes da comunidade.


Image
Image

Pontuação POP

A pontuação POP de 100 é a pontuação mais alta possível para cada componente. Uma pontuação de 100 é alcançada quando cada entrevistado classifica cada um dos indicadores individuais de um componente no valor mais alto (o melhor possível). Pontuações que variam de 0 a 100 mostram o quanto a comunidade está próxima do ideal. Para a criação das pontuações POP, os resultados negativos foram revertidos, de modo que uma pontuação POP mais alta indica uma mudança em direção a uma comunidade mais saudável. As cores vermelhas mais escuras representam as pontuações POP mais baixas (piores), enquanto que as cores azuis mais escuras representam as pontuações POP mais altas (melhores) (veja abaixo). Isto permite uma visualização fácil de quão próximo do ideal os participantes da pesquisa visualizarão cada componente de saúde e bem-estar. Para obter detalhes adicionais sobre a criação de pontuação POP, consulte a Página de Metodologia.

Calculamos as pontuações POP para cada componente de idioma da entrevista. Os resultados são apresentados separadamente por idioma apenas para os idiomas com pelo menos 20 entrevistados.

  Para saber mais sobre a criação de pontuações POP, clique aqui

Características da Amostra CBO

Setenta e três por cento dos entrevistados vivem numa cidade principal. Aproximadamente um em cada dez (12%) relatou morar sozinho; 54% viviam em domicílios com, pelo menos, um filho menor de 18 anos. Dois terços dos participantes da pesquisa (67%) identificaram-se como mulher. Aproximadamente metade (51%) tinha entre 18 e 49 anos. Sessenta e um por cento relataram ter concluído o ensino médio ou menos. Cinquenta e seis por cento tinham rendimento familiar inferior a $25,000. Dezoito por cento indicaram que viviam numa casa em que, pelo menos, uma pessoa tinha uma incapacidade. Quinze por cento indicaram que não falam Inglês e 28% indicaram que falam Inglês, mas não muito bem.


Divisão do Gráfico: Nāo Essencial: 73, Cidade Central: 27; Número de pessoas do agregado familiar: 12% (1), 25% (2), 62% (3+); Número de crianças menores de 18 anos do agregado familiar: 46% (0), 24% (1), 30% (2+); Género: 33% (Masculino), 67% (Feminino); Idade: 18% (18-34), 33% (35-49), 30% (50-64), 18% (65+); Educaçāo: 61% (Ensino secundário o menos), 21% (Alguma universidade), 16% (Bacharelato ou superior); Rendimiento: 56% (<$25K), 23% ($25K-$49K), 14% ($50-$99K); Um membro da família tem uma deficiência: 70% (Sim), 15% (Nāo); Quāo bem voce fala Inglês: 15% (De modo nenhum), 28% (Nada bem), 27% (Bem), 29% (Muite bem)

Organização do Relatório

O relatório estratifica os dados por cidade principal vs. área não principal e por raça e etnia, conforme visto aqui. Começamos no ponto mais amplo da lente, com resumos de perceções da comunidade que incorporam uma série de determinantes sociais da saúde e, rapidamente, avançamos para uma análise desses fatores-chave.

Gráfico: Cidade Central: 63 Não Essencial: 76 (Latino, Negro, Branco)